Dénia.com
Pesquisar um artigo

Tardor, o artista dianense que criou na Alemanha um mural 3D tão conflituoso quanto imponente

Novembro 30 da 2019 - 02: 34

Tardor Roselló é um jovem de Dénia que, embora seu nome possa não soar como você, seus trabalhos já fazem parte do dia-a-dia da cidade. E não apenas isso, mas ele decorou com sua arte os pontos mais emblemáticos de várias cidades da região, além de Madri e outras cidades.

Desta vez, ele enfrentou um novo desafio, a elaboração de um impressionante mural em que, com Efeito 3D, procurou tornar visível o problema do crescimento fascista na região de Dresden, na Alemanha. Um objetivo que não é fácil quando se trabalha na rua, tendo em vista quem passa pelo local e, por mais inri, ser estrangeiro.

Conversamos com o artista para nos dizer quem ele é e como ele viveu sua experiência em Dresden.

Desde quando você se dedica ao grafite e por que você começou a se interessar por essa disciplina?

Meu primeiro graffiti foi com os anos 16, no 2013, mas por muito tempo eu tinha interesse em desenhar e, em geral, na cultura Hip hop, pois fui muito influenciado pelo rap. Finalmente, decidi passar os "rabiscos" que fiz em um fólio para uma parede.

O que mais me impressionou foi o formato e a liberdade que ele oferece. Com o passar dos anos e a prática, fui aprimorando e me interessando mais pelo muralismo, onde não apenas o desenho importava, mas a interação que ele tem com o espaço.

Onde pudemos ver seus trabalhos?

Eu pintei o suficiente para Dénia e as aldeias vizinhas. Em Dénia, pude participar de todas as edições de Urbajove, o concurso de arte urbana, e meus trabalhos podem ser encontrados na rua La Vía, juntamente com os de outros artistas, bem como atrás do túnel do castelo e em Torrecremada. Também em outros recintos, digite negócios ou casas particulares da cidade, com murais ou obras de estudo (fotos).

Isso em Dénia, em La Xara, fiz um mural na Plaza del Garrofer há alguns meses e anos atrás na Plaza del Cinema. Em Jesús Pobre, tenho um dos meus murais favoritos, localizado na Plaza Rosa. Também tenho alguns trabalhos em Benigembla, onde eles me trataram como uma fábula em ambas as edições do festival BIMAU.

Além disso, tenho murais suficientes em diferentes bairros de Madri, onde moro agora, mas estou constantemente viajando para pintar em diferentes cidades e lugares, como Galiza, León e agora, recentemente, em Dresden (Alemanha).

Por que você decidiu fazer esse mural em Dresden?

Fiz esse mural entre o 21 e o 22 de novembro, aproveitando uma viagem a Berlim para fazer um trabalho com um amigo. Uma amiga fotógrafa nos contou sobre a realização de um projeto na cidade onde ela morava (Dresden). Sendo um trabalho social e com liberdade de expressão, gostamos da ideia.

Fomos informados pela situação sociopolítica da cidade, pelos organizadores do evento e por todos os inconvenientes que tiveram por serem imigrantes. Além disso, pesquisando na internet, vi o crescimento problemático do movimento fascista no local e fiquei claro que queria refletir no meu muro o problema que a cidade estava passando.

Como foi a recepção do mural pelos moradores de Dresden?

Devo dizer que não é um dos lugares onde eles me trataram melhor quando pintava. Quando você pinta na rua, fica exposto a todas as opiniões de todos que passam por ela, o que ao mesmo tempo é a beleza dessa profissão. Essas coisas não acontecem em um estudo, mas não muitas outras que são ótimas.

Nesse caso, tivemos alguns vizinhos que não gostaram muito da iniciativa. Eu me senti no meio ambiente e até recebi uma ameaça de um deles, mas foi o que eu disse antes, no final, muitas pessoas passam enquanto você está pintando. É um museu com portas abertas e você não vai gostar de todos. Eu também tenho que dizer que alguns vizinhos que não tiveram nada a ver com o evento nos deram muitas coisas.

Conte-me sobre a técnica. Como você consegue esse efeito 3D?

Esse efeito 3D é visto de um ponto de vista escolhido anteriormente e, a partir deste ponto, parece que a imagem sai da parede. É feito neste caso com paredes laterais 2 e um pedaço de parede mais distante.

É a primeira vez que você faz dessa maneira?

Não é o primeiro que eu faço. O primeiro que fiz em Dénia, há alguns anos, em uma exposição que fiz na sala Llunàtics.

E agora?

Algumas obras para indivíduos, o 14 de dezembro, eu tenho uma exposição de arte urbana em Madri e algum outro projeto em outras cidades. Você pode ver todo o trabalho que estou fazendo, e este na Alemanha, no meu perfil, Tardor Graffiti, no Instagram y e Facebook.

Deixe um comentário

    36.249
    4.207
    10.303
    2.050
    Utilizamos cookies próprios e de terceiros para oferecer publicidade personalizada e coletar dados estatísticos. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita nossos política de biscoitos.