O requisito valenciano é aprovado após um debate tenso

Esta tarde, a sessão plenária ordinária foi realizada em Dénia, onde o requisito de idioma valenciano para acessar uma posição oficial pública na prefeitura foi submetido a votação. O ponto foi aprovado graças à maioria dos PSPV-PSOE ao lado da votação a favor de compromis, mas com a recusa de Popular Dénia, cidadãos Dénia e Gent de Dénia, que tem sido muito crítico com a decisão.

Espera-se que a medida, que afetará apenas os que se candidatam aos novos lugares oferecidos ou a promoções internas, comece a ser exigida a partir de julho do próximo ano.

PP, Citizens e Gent de Dénia mostraram sua absoluta rejeição à aprovação do ponto que, segundo o popular, «Viola a doutrina institucional da co-oficialidade», garantindo que «Viola a legalidade». As três partes concordaram que os valencianos deveriam ser valorizados, mas dentro do mérito e não como um «Imposição».

Por seu lado, a Compromís expressou sua satisfação com a decisão do PSPV de avançar com o requisito linguístico e discordou da posição dos grupos opostos, garantindo que com essa atitude «Eles perdem os cidadãos que defendem sua língua».

«É a melhor língua do mundo», o porta-voz da formação valenciana exaltou, Rafa Carrió, sublinhando que «Você não deve gastar para incentivar o ódio, mas amá-lo». «Não é uma obrigação, mas um direito do cidadão de ser servido na sua língua num espaço público», Carrió defende, ao qual acrescenta que «É uma linguagem que ajuda a ser crítica e livre de pensamentos».

Vicent Grimalt Ele também quis expressar sua opinião sobre o assunto após o tenso debate, apontando, após as acusações de PP, Citizens e Gent de Dénia, que «se uma língua foi maltratada aqui, é o valenciano, nunca o castelhano » apesar de, de acordo com o prefeito, Dénia falar principalmente em valência.

Rifirrafe entre Cidadãos e Compromisso dos valencianos

Entre o polêmico debate gerado, o embate entre Compromís e Ciudadanos tem sido especialmente difícil, depois de primeiro lembrar ao governo que o Departamento de Normalização Linguística foi oferecido à formação da laranja, que, segundo Carrió, «Não ama a língua».

A porta-voz da Citizens, Susana Mut, defendeu sua posição, assegurando que também seja sua língua e afirmando que ninguém pode lhe dizer. «Quem não ama a sua língua». "Se eu votar contra, não é que eu não a ame, mas não gosto que as coisas sejam impostas", diz Mut.

Por sua vez, Estefanía Schwamb, também membro do grupo municipal de Cidadãos, solicitou e fez perguntas para ressaltar que, "Se eles dizem que Dénia é majoritariamente valenciana, você não deveria pedir o título espanhol em vez do valenciano?".

artigos relacionados

Comentários sobre "O requisito valenciano é aprovado após um debate tenso"

4 Comentários

  1. Luis :

    Agora eles querem nos fazer acreditar que conseguir uma posição oficial na prefeitura depende dos estudos e conhecimentos de cada um? As praças são concedidas pelo dedo, dependendo de quem é sua família. O valenciano também não é verdade porque não há ensino regulamentado em valenciano, mas em catalão. Isso é Valência o suficiente para jogar o que eu não sei e tudo para tentar implementar aqui o mesmo sistema de bolsas com a desculpa de linguagem que é feito na Catalunha. E tudo isso para continuar colocando o dedo para eles, mas desta vez com os bolsos mais cheios.

  2. Puffff :

    Agora devemos exigir também o nível de conhecimento de espanhol? A1, A2, B1, B2, C1, C2 em espanhol. Rindo
    Ou melhor geometria? Ou não vale a pena ter estudado os assuntos regulamentados da Comunidade Valenciana?
    Os cursos realizados pelos funcionários também não valerão. Você tem que pagar por isso, muito socialista.

*

33.565
3.863
6.162
1.574
Utilizamos cookies próprios e de terceiros para oferecer publicidade personalizada e coletar dados estatísticos. Se você continuar navegando, consideramos que você aceita nossos política de biscoitos.